domingo, 28 de fevereiro de 2010

O certo, o errado e o abstrato

O conceito de certo e errado é algo abstrato, tão abstrato quanto o sim e o não e nós abusamos desses dizeres nos nossos dia-a-dias e nem percebemos quão importante são as definições na concretização em nossos cérebros de nossos reais valores.

É certo dizermos que não sabemos de nossas origens.

É errado dizermos que viemos da luz, que viemos de Deus ou mesmo que não existimos.

É evidente que podemos ter vindo de Deus e podemos ter vindo da luz, mas evidente também é nossa existência e então a afirmação que fiz anteriormente está equivocada.
Ou seja. Não é errado dizermos que viemos da luz. Errado é afirmarmos isso sem base
técnica, assim como errado é afirmarmos termos vindo de Deus sem a mesma base.

É certa a existência como certo é o nascimento.
Quem nasce vive, e certo é que só quem vive pode morrer.

Não é certo dizermos que o pensamento exista como matéria, portanto posso considerar errado que o etéreo seja material, e posso hipotetisar que ainda que etéreo, o pensamento seja uma energia e como tal cíclica e ondular, assim como movente e variável, como toda e qualquer fonte de energia conhecida.

Hipotetisando que a luz dividida em semi-invisíveis fótons possa se materializar em microscópicos átomos posso hipotetisar que o pensamento, por parecer insondáveis vezes menos potente que a luz produza, ao final do também congelamento de suas partículas, elétrons e eis aí algo que a Ciência ainda pouco considerou: a existência não de uma apenas, mas de duas as fontes primárias de toda a energia convulsionante do Universo trabalhando não em conjunto, mas mantendo nas suas operações apenas uma proporcionalidade energético/tranformacional idêntica.

Isso confundiria tanto o ser inteligente em busca de suas raízes que ele não conseguiria perceber uma ainda que a outra lhe fosse visível e escancaradamente grande à sua frente pela simples dedução de que o infinitamente grande não é apenas infinitamente maior que o infinitamente pequeno, mas exponencial-infinitamente muito mais preponderante e ativo a ponto de uma substância por umas energias formada jamais poder sequer tocar a face de uma substancia similar (ainda que de mesmo tamanhos) formada pela outra. Muito menos romper-lhe o escudo de proteção.

Sei que isso é uma teoria boa para filmes de ficção, mas pode muito bem se adequar à nossa realidade se considerarmos que todas fitas de DNA que conhecemos são duplas e que todos os elementos atômicos que conhecemos carregam no mínimo um elétron à sua volta e não se ouve falar de elétrons fundindo-se a núcleos nem de células com DNA sem par.

A união abstrata que se forma entre essas duas fontes de matéria (energia formando matéria) se daria bem sendo definida como a 'alma' do ser vivo, ou a inteligência existente entre as partes, causadora dos questionamentos de cada ser e ao mesmo tempo agregadora, organizadamente, das células que compõem cada indivíduo.

Não sei se "viajo" muito nessas minhas considerações, mas imagino que se não sou esperma, não sou óvulo, e se uma semente produz uma árvore semi-eterna... porque não sou imortal também eu?

Acho que a aceitação de que Deus é a fonte da energia pensante resultaria na conclusão de que a luz é o único pensamento já existente que se eternizou: - a vida deve seguir viva, até para que dela nasça um ser capaz de dominá-la.

O que você acha?

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Lavagem Cerebral e o Fanatismo.

Nas Seitas Evangélicas são as que estão intrínsecas “As Lavagens Cerebrais” somando-se aí “O Fanatismo”, claro e evidente que o fanatismo não é monopólio das Igrejas Evangélicas, pois ele está espalhado em todas ramificações onde o bom senso seja excluído, isto é, de um simples colecionador até o inimaginável. Mas como o assunto é Religiosidade falo do que seja preciso.

Líderes carismáticos:
Normalmente pessoas que citam a Bíblia ou partes dela sabendo encaixar os ensinos exemplificando-os de formas questionáveis quais tornam-se inquestionáveis por razão do medo. O pastor em seu discurso demonstra certa convicção onde a força e o magnetismo pessoal toma o lugar da razão. Normalmente esses pastores possuem revelações e contatos com Jesus, Espírito Santo ou o próprio Deus Cristão. Demonstram externamente padrões rígidos de morais e bons costumes. Um terno vai bem, obrigado, e de preferência, com a Bíblia sempre à mão, enquanto os fiéis as fazem de desodorantes, pois as levam debaixo dos braços.

A Figura do Salvador imprescindível:
É uma necessidade primordial. Sim é ela a grande muleta, a salvação para tudo. Normalmente Jesus Cristo, Espírito Santo ou Deus são as tábuas das “Salvações”, tirando do homem a sua capacidade de ser ele mesmo. Normalmente associam termos como amor, amizade, união, para atingir o intento e assim reforçar ainda mais o discurso sentimentalista.

Ah! Mais por favor! Não confunda sentimento com sentimentalismo: o primeiro é inerente a todo ser humano, as emoções, e deve ser vivenciado o segundo é a versão piegas do primeiro.

Um inimigo normalmente também é imprescindível:
É usado o velho truque do Diabo como manobra e direcionamento para o pecado e dentro da maior sutileza atribuem as Igrejas rivais essa qualidade. Atacam também os Ateus, Ocultistas, Religiões/Filosofias alternativas, qualquer coisa nova que pode servir de empecilhos aos seus planos asquerosos, onde os fiéis devem barganhar com o Alto. As Religiões Afro-brasileiras são as preferidas, por esses missionários usurpadores digo pastores.

A Salvação é a placa indicativa:
É uma garantia pós-vida, o motivo pelo quais muitos se entregam a essas seitas. Mas, essa premiação é usada através dos cabrestos e antolhos até mais do que a figura de um Salvador, onde o medo da morte é uma das grandes armas dos tiranos, como também os açoites deles e deturpam todas as perspectivas do Universo. Mas qual seria a garantia seria o Dízimo e ofertas? Sei lá, sei não.

Exclusivismos incontestáveis afinal serão eles são os salvos:
A visão do grupo é certa, desqualificando as demais, chegando até as vias de punição, psicológica, por querer saber mais de uma outra doutrina.

Algumas técnicas de “afiliação” se valem de alterações psicológicas, num momento de fragilidade, muitas vezes via desgaste físico (jejum súbito por exemplo). De modo geral: via música ou um som ritmado, a pessoa é induzida a entrar em estado de alfa, onde o cérebro torna-se aberto a sugestões. Em seguida, torná-se o ambiente tenso, estimulando reações agressivas, normalmente pelo pregador falando alto e enfaticamente. A sugestão hipnótica acaba despertando emoções reprimidas, a catarse, manifestada em espasmos ou fala enrolada (falar em línguas). Nessa fase a pessoa está pronta para a sugestão infiltrada (normalmente se pede o Dízimo nesta parte do culto). Aqui ocorrem algumas curas teatrais, mas o normal é durarem em torno de 4 dias, o tempo de duração de uma sugestão hipnótica.

O que impera nas religiões Cristãs é a repressão, principalmente a sexual. Os defeitos inerentes do ser humano são varridos para debaixo do tapete e um dos resultados é a hipocrisia que impera hoje. Os casos mais graves, e mais comuns, são daqueles que acreditam mesmo que estão fazendo algo de bom, “forçando Rei contra Rei”. Impondo o seu ponto de vista pessoal, a sua interpretação de livros Sagrados, a outrem. Esses não são guiados pela ganância, mas pelos seus medos. Desacreditar alguém que se acha certo é muito difícil. Pior ainda, são aqueles que não desejam sair da pasmaceira e pensar por conta própria.

Os consultórios estão cheios de vitimas dessas repressões Aliás, quem dera se todas fossem uma só a se tratar.

Vou mostrar como funciona a “lavagem cerebral” feita nas igrejas evangélicas, começa de forma sutil até chegar ao extremo. Acompanhe com atenção e tire sua conclusão. Na Bíblia há centenas de contradições mas vamos analisar apenas algumas para que o leitor tenha noção do que há neste livro. Trabalhando somente com o subjetivo, criam imagens aterrorizantes na mente de pessoas simples e de pouca instrução.

Na Bíblia lemos que Elias foi arrebatado para o céu de corpo e alma, mas o apostolo Paulo afirmou que “a carne e o sangue não poderão herdar o Reino dos céus”. Se formos observar atentamente há uma contradição nessa passagem, afinal quem esta falando a verdade? A Ciência é o estudo feito pelos Cientistas das transformações das Leis Naturais, não é nada além do que o Alto criou. Ela nos explica que um corpo orgânico só pode se manter por meio da ingestão de alimentos orgânicos, e no mundo Espiritual não há esses elementos para manter o corpo. Já que sabemos que as Leis de Divinas são imutáveis, não há a mínima condição deste corpo se manter fora da dimensão física. Logo não nos parece verídico Elias ter subido aos céus de corpo e alma, já que o próprio Cristo subiu aos Céus em Espírito e Paulo tem a mesma posição da Ciência.

Outras passagens merecem destaques as ressurreições da filha de Jairo (Mateus 9:18-26), da viúva do filho de Naim (Lucas 7:11-17) e a ressurreição de Lázaro (João 11:43). Mas não se vive uma vez só? Segundo estas passagens, Lázaro deveria esta vivo até hoje, mas como sabemos que isso não é verdade, então, Lázaro morreu duas vezes. Mas se o autor disse ser "apenas uma", então ele se enganou, e se isso ocorreu com um autor, pode ter ocorrido com outros. Segundo as Leis Naturais, quando há falência de um órgão físico não é possível reviver um corpo e não acredito que o Alto iria derrogar suas leis, por serem imutáveis. e quem sabe as respostas estão na catalepsia?

Deus é Infinitamente Bom, logo não pode ter a mínima parcela do mal, pois caso contrário, não seria Infinitamente Bom, não sendo portanto, Deus. Mas a Bíblia relata “Assim diz o Senhor: Olhai! Estou forjando mal contra vós, e projeto um plano contra vós” (Jr 8:11). Sendo Deus infinitamente bom como pode forjar o mal contra seus filhos? Não nos consta que Jesus tenha nos apresentado um Deus que possa se contradizer, mas os autores Bíblicos com certeza poderiam, pois eram pessoas muito simples e imperfeitas, passíveis de erros algo muito comum.

No livro de Samuel lemos A ira do Senhor tornou a acender-se contra Israel, e ele incitou a Davi contra eles, dizendo: Vai, levanta o censo de Israel e Judá. (2Sm 24:1), mas no livro das Crônicas lemos algo muito diferente Então Satanás se levantou contra Israel, e incitou Davi a numerar a Israel. (1Cr 21:1) Pergunto Quem deu ordem para fazer o recenseamento, Deus ou Satanás? O povo seguiu as ordens de quem?

Há várias passagens na Bíblia que afirma que a Terra é plana ou chata (Apocalipse 7,1) e que os ventos são guardados em reservatórios (Salmos 135:7). Diz inclusive que Coelhos e Lebres ruminam (Levítico 11:05-06 e Deuteronômio 14:07), Morcegos também são aves (Levítico 11:19 e Deuteronômio 14:18), Algumas espécies de insetos têm quatro pés (Levítico 11:20) e que a Lua tem luz própria (Gênese 1,16). Fazem do povo um verdadeiro rebanho de quadrúpedes sem dó nem piedade. Tudo em troca de dinheiro no final do mês como o Dízimo disfarçado de doação. Além desses líderes afirmarem que tudo isso são mistérios do Divino. Não existe mistério existe muita ignorância e má-fé.

Até aqui o leitor pôde perceber que há muitas contradições, mas isto será assunto para a próxima postagem o que importa é a “Lavagem Cerebral” onde os fiéis são induzidos a considerá-las, achando a que a inteligência do homem não é nada em relação à de Deus. De fato é superior, mas isso não quer dizer que os seres humanos sejam BURROS e devam aceitar absurdos ridículos que estão escritos num livro que eles dizem ser a palavra de Deus. Pode Deus cometer erros? Pode Deus cair em contradição? Pode Deus ser menos inteligente do que nós? Pode o Criador escrever de forma que confunda as mentes de seus filhos? Se Deus tivesse escrito a Bíblia ela seria um livro perfeito e não daria margem a centenas de falsas interpretações. Ela seria clara e objetiva, seria séria e direta, sem margem de erros e absurdos.

A visão dos fanáticos religiosos:
O cristão evangélico fundamentalista enxerga o mundo de uma maneira muito diferente da pessoa comum sabia? Eles o vêem basicamente como um tabuleiro de xadrez gigante entre Deus e Satanás. É um campo de batalhas por almas onde um arsenal de guerra toma lugar. Deus está tentando salvar tantas almas quanto possíveis através das mensagens de Jesus Cristo, e os Cristãos são os seus soldados para fazer isto. Satanás está tentando levar com ele para o inferno a maior quantidade de almas possíveis, enganando crentes e descrentes com as dúvidas entre, ganâncias, valores materiais, crenças não Cristãs, outras Religiões, etc. Ambos os lados estão tentando fazer isso antes que o Dia do Julgamento chegue. Então o mundo será destruído e os salvos serão enviados para o Céu enquanto os não-salvos para o inferno.

Os ministros, pregadores, e pastores instilam nos Cristãos um medo e uma paranóia de Satanás. É dito a eles que Satanás está constantemente procurando caminhos para fazê-los o cair da fé, usando sua própria família, amigos, tentações, outras Religiões, até mesmo sua própria mente, etc. Então é dito a eles para nunca confiarem em nada exceto em Deus, Jesus, e a Bíblia. Todas as outras coisas podem ser usadas como uma arma de Satanás, até mesmo sua própria mente, que já esta na fase da demência. Portanto, se você duvidar de sua fé, então você é advertido: “Cuidado! Isto é exatamente o que Satanás quer que você faça! Não caia em sua armadilha! Não confie nem em sua própria mente, a qual Satanás pode usar contra você! Confie somente em Deus, Jesus e na Bíblia!”

Quando esse medo e paranóia tornam-se inerentes em você, fica difícil abandonar a sua fé mesmo se você quiser. Você se torna escravo da Religião a vai sustentar seus líderes até morrer. É assim que ocorre a lavagem cerebral no meio evangélico, a inteligência e o pensamento são cristalizados e fica somente a fascinação por coisas que só existem na mente doentia do fiel.

IURD Igreja Universal do Reino de Deus e suas imitações.

O TEATRO DA POSSESSÃO:
Como os pastores empregam técnicas e truques para induzir o fiel a entrar em transe nas sessões de exorcismo.

TRILHA SONORA:
O tecladista executa melodias leves nos momentos de alusão a bênçãos divinas. Mas, quando o pastor menciona as ações do demônio e de espíritos malignos, ouve-se uma sucessão de acordes pesados, que lembram filmes de terror.

ILUMINAÇÃO:
Em alguns cultos realizados à noite, os pastores apagam as luzes principais da igreja. Envoltos na penumbra, os fiéis ficam mais sugestionáveis. Os pastores também pedem às pessoas que fechem os olhos.

ROTEIRO:
Para evocar os demônios, os pastores fazem orações repetitivas. A mente humana tende a aceitar como verdadeiras as frases proferidas sucessivamente, em tom de autoridade e num ambiente emocional.

COREOGRAFIA:
Os obreiros apertam e balançam a cabeça ou o corpo do fiel em movimentos circulares. A tontura e a falta de apoio no chão são fatores que induzem o transe.

FIGURAÇÃO:
O burburinho das pessoas rezando e gritando rebaixa os níveis de consciência de fiéis suscetíveis. Quem está no meio de uma multidão é influenciado pelas emoções dos indivíduos ao redor.

ADEREÇOS:
As igrejas usam símbolos que tocam as emoções dos fiéis. Os pastores incentivam-nos a trazer objetos de valor emotivo como fotografias de parentes, currículos impressos e carteira de trabalho para ser abençoados.

SONOPLASTIA:
Em algumas igrejas, junto com a música, são reproduzidas gravações de gritos e sons de assombração. Esses ruídos estimulam o inconsciente das pessoas em transe a considerar real aquela manifestação.

Objetos mágicos que embalam as SESSÕES DE DESCARREGOS:
Para apimentar os cultos de exorcismo, os pastores da Universal distribuem objetos com supostos poderes. Para consegui-los, o fiel vai ao altar e promete fazer ofertas generosas.

PEDRAS:
Não é só com reza que se atacam encostos. Os fiéis recebem pedras para jogar em Golias, boneco gigante que ocupa o altar da Catedral da Fé, em São Paulo.

LIMPEZA:
Sabonete de arruda é a promessa do pastor para livrar o corpo de impurezas. O suvenir é distribuído no ritual de descarrego. (ALGO USADO NAS RELIGIÕES AFRO-BRASILEIRAS).

ÓLEO:
O frasco com azeite bento, é agitado para afastar o mau-olhado.

PROTEÇÃO:
O sal, que vem em pratos de plásticos, é usado para “purificar” o local de trabalho e o lar.

DÍZIMOS:
Fiéis pegam o envelope vazio e têm de devolvê-lo cheio na semana seguinte. Exigem-se pelo menos R$ 30 por mês. Isto para quem não possui renda.

A Bíblia fala sobre o dízimo em várias passagens do Velho Testamento, não só em Malaquias, porém não com a conotação e significado que lhe é atribuído hoje. A palavra dízimo tem origem no hebraico “maasser”, que quer dizer “décima parte”. E o dízimo foi criado para os Levitas, confira no livro dos Números 18:21.

O dízimo era mercadoria e não em dinheiro, veja Levítico 27:30 a 33. Os Judeus já aboliram o dízimo desde o fim do Exílio da Babilônia, no ano 533 AC, pois os levitas recusaram juntar-se a Esdras no retorno à terra de Israel e se não existiam mais levitas para receber dízimo não havia razão para sua existência, por isso foi extinto. Hoje não se cobra mais dízimo no judaísmo.

Jesus nunca pregou nem cobrou dízimo e nos Evangelhos ele foi taxativo em Mateus 23:23 quando criticou escribas e fariseus: ”Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Pagais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e desprezais os preconceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fidelidade”.

Jesus é mais claro ainda, não deixando dúvida, quando orienta os discípulos sobre a missão: Evangelho de Mateus, capítulo 10:8 “Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os espíritos maus. Daí de graça o que de graça recebestes”. Está bem clara a opinião de Jesus.

Enfim! Não pode haver maior equívoco do que presenciar nas igrejas pessoas sinceras colocarem uma certa quantidade de dinheiro dentro de um envelope, valor correspondente a 10% de seus ganhos e saírem satisfeitas achando que deram dízimos ao Senhor. Elas precisam aprender o que significa dízimo. Biblicamente falando.

Dízimo na Bíblia nunca está relacionado a dinheiro. Nunca. Dízimo sempre está relacionado à comida, alimentos, produção agro-pecuária.

Não que não houvesse dinheiro nos tempos bíblicos. Algumas taxas para o Templo só eram aceitas em forma de dinheiro (Êxodo 30:14-16 e 38:24-31). O dinheiro era utilizado para comprar sepulturas (Gêneses 23:15-16). O dinheiro era usado para comprar bois para serem oferecidos em sacrifícios. (II Samuel 24:24). Era utilizado para pagar tributos vassalos. (II Reis 23:33,35). Era utilizado para comprar imóveis (Jeremias 32:9-11). Para pagar salários (II Reis 22:4-7). Para fazer câmbios (Marcos 11:15.17). O próprio Jesus foi vendido por dinheiro.

Entretanto, Deus estabeleceu que somente as pessoas ligadas à produção agro-pecuária deveriam trazer dízimos.

Dinheiro já existia desde os tempos de Abraão. Salário, comércio, negócios sempre existiram. Nos tempos antigos haviam variadas profissões e ocupações como hoje. Se o dízimo tivesse sido estabelecido sob a forma de dinheiro, ninguém teria dificuldade de adorar a Deus desta forma. Mas não foi assim que Deus quis. Dízimo na Bíblia é sinônimo de alimento.
Ofertas podiam ser trazidas em forma de dinheiro (II Reis 22:4-7) Mas, quando o assunto era dízimo, somente ovelhas, bois, grãos, comida. DINHEIRO NUNCA!!!
Por este motivo, em nos nossos dias, dízimo não é dízimo. Seu dinheiro entregue naquele envelope não é, e nunca será um dízimo à luz da Bíblia. Foi Deus quem estabeleceu o que é dízimo e o homem não pode mudar.

“Todos os dízimos do campo, da semente do campo, do fruto das árvores, são do Senhor, são santos ao Senhor. No tocante a todos os dízimos de vacas e ovelhas, de tudo que passar por debaixo da vara do pastor, o dízimo (O DÉCIMO) será santo ao Senhor. Não esquadrinhará entre o bom e o ruim, nem o substituirá. Se de algum modo o substituir, ambos serão santos, e não podem ser resgatados”. Levítico 27:30-32

E NÃO ME VENHAM COM A CONVERSA FIADA DE MALAQUIAS 3:10..

Um forte abraço, cheio de Paz e Luz.

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Matemática

Um, eu, mais um, minha mulher, somos quatro e agora já cinco.
Como explicar essa matemática?
Uma célula, grande como um óvulo, e outra, pequena e insistente como o esperma... e cá estamos cada um de nós.
De onde viemos?
Do esperma que comeu todo o óvulo ou do óvulo que ... recebeu o esperma voraz?
Acho que, respeitadas as leis da natureza, há dois machos para para fêmea, e a maior característica do macho, digo por mim, é ter além de duas caras, dois universos, o dele próprio (que mantém num sonho único inatingível.... de ser o amor amante de todas as mulheres) e o de todas as mulheres, de terem nele o homem de suas vidas, apesar de amá-las todas, ter escolhido, entre elas (e são tantas) apenas uma.

Penso que negarmos que a luz é a fonte da matéria é o mesmo que negarmos que pensamento não tem matéria e portanto Deus não existe, já que só o que existe é material.
Acho que deviamos pensar melhor sobre isso.
Tudo, no Universo, tem centros.
Porque o Universo, apenas, não teria?
Acho estúpido a gente imaginar que a luz veio da escuridão, mas acho lógico na escuridão existir ... pensamento... além de razão.
Um nunca, JAMAIS, é igual ao outro.
Lógico, é que há, na vida, ordem.
Lógico é que na minha... mando eu.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

fatos e fantasias

Um fato é uma certeza, uma ocorrência, e sempre ou ocorrida ou recorrente.
Fato é eu ter nascido de uma mulher.
Informação é ter chegado a mim que essa mulher foi casada com meu pai.
À informação chamo sabedoria, o saber de mim, porém não me é uma certeza, mas apenas uma verdade contestável.
Minha mãe, ou meu pai, ou ambos, podem ter mentido para mim.
Então vem a ciência e me prova que tenho, no meu DNA, DNA do meu pai e DNA de minha mãe.
Bom... eu ainda posso contestar que o irmão de meu pai fez amor com a irmã de minha mãe e meu pai e minha mãe, que já eram casados, me adotaram porque ficaram com pena da minha verdadeira mãe.
Então... a ciência compreenderia que possível é que eu não tenha a certeza de que de minha mãe nasci.
Acredito nisso e razão não tenho para duvidar, mas não me é uma certeza absoluta esse fato. Ou seja... o eu ter nascido é um fato, o ter sido no útero de minha mãe, e pelo meu pai e não pelo seu irmão é uma hipóteses, provável, possível, plausível e mesmo o fato, porém... não é tão fato quanto o fato de que nascido fui.
Confunde... Um fato menor que o outro não pode ter, cientificamente, o mesmo nome.
O igual não pode ser diferente, matematicamente.
Nós, humanos, somos todos diferentes, porém iguais enquanto humanos e não poderia de outra forma me expressar senão igualando-nos, humanos, num grupo.
Entretanto é notável que somos, todos nós, completamente desiguais, e portanto diferentes, um de cada outro.
Somos iguais em essência.
Somos diferentes em matéria.
Aqui cravo minha dúvida: se somos iguais, porque afirmamos que somos diferentes?
Se somos diferentes, porque afirmamos, e compreendemos, que somos iguais?
Somos mentirosos ou temos dois pesos e duas medidas para cada palavra?
Não podemos ser iguais sendo diferentes e somos diferentes e não iguais.
Há uma correção a ser feita na nossa ciência.
Somos, cada um, únicos no Universo.
À imagem e semelhança um de cada outro, somos, vemos, sentimos e percebemos Universos completamente diferentes um de cada outro.
O Universo, à uma mulher africana é total e completamente diferente do Universo de um homem muçulmano nascido no Alaska, convenhamos ao menos nisso.
Assim como numa selva ainda por serem descobertos devem existir índios com língua, cultura e fé estranha à nossa, porém crendo numa divindade maior, poderosa e destrutiva, além de vingativa e generosamente atendendo preces, danças, rituais e pedidos.
Se esses índios, ainda por serem descobertos, já creem em algo que nós por milênios questionamos, de onde nasceu a cultura que lhes transmitiu o que eles consideram máxima sabedoria?
Nada surge do nada, penso eu.
Tudo tem uma razão de existir.
Posso afirmar aqui algo que considero incontestável:
Tudo o que existe, antes de ter existido, não existia.
E com base nisso, posso estender para:
Tudo o que existe é novo à nosso conhecimento.
E, com base nisso como fato, posso admitir que o saber cresce à medida em que descobrimos novidades existentes.
Elas já existiam antes, apenas as desconhecíamos.
Hoje meu amigo Darwinista se confessou teísta. Vai ver crê que o homem evoluiu do macaco e que na verdade Adão era macaco e Eva ... além de má, porque desobedeceu Deus e fez toda essa nossa caca, ainda comeu a maçã a conselho de cobra... Má... caca... Da palavra nasceu a moça. Macaca Eva. O mundo, a julgar pela juventude (e reputo meu amigo inteligente e culturalmente educado), evolui em degraus. De uma hora para outra o macaco surge, e depois dele o homem.
Difícil é explicar a ele que o único livro que permanece defendido até a morte por oito milênios se chama Bíblia e a ciência, apesar de viver descobrindo coisas, ainda não fez um único livro que explicasse como o fóton se transforma em átomo.
Explodindo, crê-se.
Criando, penso.
Fato é que penso.
Fato é que creem em fantasias e fato é que a vida não é uma fantasia e a morte, essa sim, uma ufania, que deveria nos ser apenas fantasia, infelizmente ainda nos é a única outra grande certeza da humanidade.
Questionável.
Algas vivem eternamente.
Árvores vivem milênios.
Tartarugas vivem mil anos.
E todas elas nascem de apenas uma célula.
E diz-se como fato que essas células não pensam.
Aliás, nem mesmo à nossa primeira zigoto é atribuido o pensar.... mas ninguém pode negar que sozinha foi capaz de construir o corpo nosso, e quase igual a todos os outros. Olhando não foi... ao que saibamos... que aprendeu a fazer isso.
Foi por escrito.
Então... se não é inteligente, ao menos sabe ler e seguir instruções melhor que nós mesmos.
Fato, humano, é que não é inteligente acreditar que o ser que nasce tem como destino certo a morte.
Fato, pessoa, é que é inteligente crer na imortalidade.
Fato é que o único livro que explica a origem da humanidade se chama Bíblia.
Fato, creio eu, é que ninguém consegue interpretar o que nela escrito está.
Fato é que existe um abismo entre o que penso e creio eu e o que pensa e crê todo e qualquer ser humano na face da Terra.
Contestável?
Por favor... sirva-se, mas... por favor... é fantasia achar que o mundo vai acabar. E achismo não é fato. Fato é que egípcios conheciam astronomia e que maias também.
E fato é que ambos deixaram marcas parecidas sobre o que pensavam do Universo.
O mundo acabará para todo aquele que nele, no mundo, se acabar. Morrendo o ser vivo morre com ele todo o Universo que ele conhece.
A isso chamo também achismo. Achismo meu, mas ... achismo. Só morrendo se tornará, para mim, uma verdade.
Mas... saberei?
A vida não nasceu para morrer, acredito.
Seria estúpido demais evoluir se fosse mesmo o propósito da célula matar o indivíduo que ela constrói.
Bom... agradeço comentários. Fazem-nos pensar.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Twitter na minha vida

Acabei de retwittar um tweet no Twitter e antes tinha pensado em vir aqui blogá-lo, para depois fazer propaganda de mim para que viessem aqui no meu blog ler o que eu penso. Mas aí reconsiderei... se posso falar pouco, e falar certo, penso até que seria falso modesto se dissesse que não é tão certo assim, porque é, e reconsiderando admiti que primeiro deveria mesmo dizer lá o que ainda não disse aqui, porque considero chato, e até aborrecido, que alguém me critique por não saber o que digo.
Ora... se escrevo, insisto e persisto, é porque sei que o que digo é bom de ser sabido, lido, ouvido, repetido.
Então lá vai:
A primeira certeza que tenho é que a vida, como um todo, começou antes de mim.
A segunda, é que a minha vida começou apenas comigo, quando nasci.
E a terceira, que me é uma informação e não um saber, é que saí do útero da minha mãe.
A quarta certeza já me é uma dúvida... meu pai... será que saí mesmo dele?
Posso saber, claro, mas não será, nem mesmo medindo o DNA, uma certeza 100% certa.
E uma certeza, cem por cento certa, é que a vida começou antes de todos os seres hoje vivos. Menos a minha. Que começou comigo.