segunda-feira, 7 de maio de 2012

Certezas

Certo é que a vida originou-se em uma célula, já que seja como tenha sido a operação que a causou, uma vez multiplicada, a célula nunca mais parou de se dividir.

Tenho como certo o pensamento de que uma célula, como indivíduo, não pensa e sei também que seres não pensantes não são capazes de gerar idéias.

Sei ainda que a idéia de que todos somos oriundos de um ser só não nasceu na célula que a tudo, a todos, construiu e portanto posso concluir uma coisa é certa:

- Ou o pensamento sendo a origem da vida ou a vida sendo a origem do pensamento podem parecer um fato só, entretanto sem vida não há pensamento e do pensamento, ao que se saiba, não se gera vida.

Então, forçando-me a compreender que a vida é originada no caos, já que o caos por não ser algo material em si não poderia pensar (não existe = não pensa) e assumindo que o caos não pense, direciono-me à grande questão... quem me criou também criou a Adão?

Pensamento é fonte, perene, serena, e constante, de vida.

Isso é certo?

Ou só eu penso assim?
Tudo é relativo, sim, nisso Einstein acertou. Tudo é relativo a mim. Eu, inexistindo, não nascido ou morto, nada mais existe para mim. Sou o centro do meu Universo. E assim todos os demais seres vivos, inteligentes, racionais, ou não. Não é o saber a causa da vida, disso sabemos, então sabendo ou não do fóton, ele existe. Sou o Universo e sem mim ele, o meu Universo, esse Universo que sou, inexiste. Logo, por similitude, cada ser vivo é um Universo em si e em muitos o sendo, os vivos, grande o exterior de cada um a cada um parece ser. O centro dos centros, se é que posso chamar assim, não é matéria, nem luz, pode muito bem ser móvel, vibrante, e vibrar. E para isso, ao que eu saiba, nem é preciso ser matéria. Ondas energéticas são assim, por exemplo. Considerando a vida como origem das coisas, o pensamento é a causa da vida. Se houve um pensador inicial, idêntico e não apenas imagem ou minha semelhança, que nome tinha?