quarta-feira, 29 de abril de 2009

Pedro Ferreira e a árvore do bem e do mal

Para quem enxerga através de vidros à luz, esse menino parece que sabe muito bem responder às críticas às suas obras.
Quem olha, com olho de crítico a uma árvore de plástico, vê um horror de atentado à natureza, de desrespeito e mesmo por apenas verde as preservamos nos fundos de nossos baús em casa.
É o cúmulo, para mim, do ridículo uma árvore de plástico, com certeza, mas elas enganam, e não apenas aos nossos olhos, nos trazendo um passado eterno e enraizado dentro de nós, também às nossas mentes que não conseguem com facilidade separar o lúcido do lúdico.
Ao retratar ali, no lugar de Deus e no centro da luz, tal tão inquestionável ridiculice de uma obra humana, Pedro Ferreira conseguiu trazer a mim, que me considero enorme e filho privilegiado de um Pai bondoso e generoso, a compreensão, e toda, do meu ser.
Uma foto assim, a mim, deveria ser mantida para a posteridade. Ela nos traz, ao mais insólito de nossa alma, toda a pequenes do ser humano face à inimitável presença da luz em todo o nosso entorno exterior.
Parabéns, e obrigado. Você realmente é uma pessoa iluminada, Pedro.
Uma rocha, a julgar pelo nome, inteligente, e a julgar pelo olho, iluminado.
Deem uma olhada se estou falando do que não vi:
http://fotografiapf.blogspot.com/

Um comentário:

  1. Obrigada pela visita e pelos comentários: bela surpresa para mim.
    Vou viajar com calma por suas palavras.
    Vejo que vc tbém é das minas gerais: ô trem danadim de bão, sô: mais um mineirim aqui...

    Em tempo: agora sou sua seguidora, rs.

    Qto ao Pedro...nossa, ele tem um olhar privilegiado. Faz um bem a alma e aos olhos passear por suas imagens...

    Inté!

    ResponderExcluir

Sem moderação torno-me responsável pelo que você diz, por isso, caso comente, publicarei depois de lido. Obrigado por compreender.