sábado, 6 de junho de 2009

अ fé, सेम ओ होमेम, nãओ एक्सिस्ते

Eu diria que é preciso um ser para ter fé e é preciso um ser para crer. Aí vou pensar que um ser vive, e nasceu, e não deve ter sido para morrer. Então eu diria que para ter um corpo é preciso uma célula e dento da célula uma luz, um fogo, uma vida, inteligente, para ser capaz de me fazer.
Uma fé é um fogo, uma vida, é inteligenre, capaz, pode gerar luz, luz gera célula... então uma fé é capaz de me fazer.
Estou certo disso?
Claro que não, mas não fui eu quem fiz o Universo para mim.
E nasci de algo pequeno, muito pequeno, e dentro da minha mãe.
Que já estava aqui antes de mim.
Assim como meu pai e todo o resto.
Logo, eu... não criei o Universo. Sou parte dele.
Importante, porque sem eu, eu não sei dele.
Sem mim, eu sei que ele sabe de mim.
Para que me fez? Para brigar com o mundo?
Não é o que penso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sem moderação torno-me responsável pelo que você diz, por isso, caso comente, publicarei depois de lido. Obrigado por compreender.