sábado, 9 de maio de 2009

Meus presentes do 55º aniversário

"O Segredo colocado em prática". (Michael J. Losier , A lei da atração, Editora Sem Fronteiras)
Li a capa, as duas longas orelhas e a contra capa também negra desse livro que ganhei no meu 55º aniversário.
Ganhei também um casaco com o qual me orgulharia de me apresentar a uma Rainha e um outro que não me iria mal ao lado de um príncipe. Das calças com uma até poderia estar vestido para não me comportar indignamente na frente da sábia senhora e uma mais clara, ambas de jeans azul, com a qual muito feliz, solto, bonito e contente eu poderia estar ao lado de meu filho largando numa corrida de kart decidindo campeonato, e mesmo suja estivesse tampouco me faria feio na presença da Sua Majestade.
Não ganhei cuecas, mas sim quatro pares de meias, nenhum calçado, mas me sentiria algo deslocado se as usasse todas numa mesma ocasião, me sentiria desprotegido num dia molhado ou mesmo em lugares como pistas e ruas e mistas, mas plenamente me satisfariam apenas as meias tanto num salão de baile em madeira ou em mármore quanto num escalar de montanha complicado, mas nunca numa oficina cheia de óleo para todo lado.
Enfim, ganhei também a presença de amigos, o baile e o carinho de toda essa gente aqui ao meu lado. A Rainha certamente não veio, apenas sua voz me brindou aos ouvidos.
O segredo, do acredite e receba passa por uma onda, e nasce de mim.
Michael, j losier? Estive pensando. Ao descobrir que o segredo é a lei, e atrai, mudo eu meu conceito de mim. Esse é um livro para se ler com muito cuidado. A lei não fala, ela age. Se não conseguir concluir, ao terminar o livro, a realização de meus desejos, não sei para que mais serviria esse livro para mim.
O que li realmente mexeu comigo. O que sei, e o que saberei, residem, ambos, dentro de mim. Um nascendo, um lutando e um morrendo. Há coisa demais dentro de mim.
Quando terminar minha tarefa, a de ler o livro, volto aqui prá dizer onde foi que cresci.
E o que ganhei.
Por falar em ganhar, ganhei de meu pai o melhor abraço.
Ah, sim, ganhei de um menino, namorado noivo da minha sobrinha primeira filha da primeira irmã caçula que eu tive, um presente que há muito queria. Um bocado de erva suficiente para satisfazer a minha vida.
Ganhei carinho, ganhei beijo, só não margarida, e duas camisetas com as quais eu não me veria certamente em outros lugares que não em lutas à frente de revoluções. Talvez... muito distantemente ... eu pudesse vestí-la na pista de corrida... talvez ... muito distantemente. Camisetas vermelhas? Nem em guerras ou em touradas seria uma boa idéia vestí-las. Melhor mesmo o preto casado ou o cinza prateado, e sem camisa. O problema é que sem camisa falta elegância. Bons tempos eram os antigos, antes da existência dessas tais.
Sangue é bonito, mas rapidinho escurece e fica feio, além de malcheiroso.
Vamos ver o que vai acontecer.
Obrigado.
Engraçados os amores da gente... eles nos mostram seus perfumes e fogem de nós brincando de se esconderem de nós.
Ganhei muitos presentes, faltaram amigos, ouvi muitas vozes queridas e nem sei se mereço, devo merecer, a vida é justa, e como diz o livro, nascem de nossos pensamentos os nossos sentimentos... quer dizer, não sei se diz lá isso, deve dizer, foi a conclusão que cheguei ao pouco que li.
Ganhei palavras. Coleciono palavras. São mais fáceis de serem guardadas que sorrisos, e não ocupam tanto espaço.
Obrigado, aumentei bem minha coleção. O amor continua lindo.

Um comentário:

  1. olá ketim
    tudo bem contigo? obrigada por seus comentários..adorei o "se eu fosse" seu...vc tem q fazer um aqui.
    passa no meu blog e pega um selinho sobre ser bioAgradavel (tem um texto explicando)

    bjus e linda semana p ti

    ResponderExcluir

Sem moderação torno-me responsável pelo que você diz, por isso, caso comente, publicarei depois de lido. Obrigado por compreender.