quinta-feira, 17 de setembro de 2009

वेन्हामोस ऐ convenhamos

Quais são nossas certezas?
Nascemos.
Surgimos.
Nos criamos.
Que somos?
A palavra humana foi criada por humanos.
A palavra animal foi criada pelo animal e é o animal que a compreende, mas o homem também compreende bem o que diz um cão. As conversas não são completamente audíveis ou afirmáveis, pois o cão não fala, mas se expressa, e demonstra sentimentos.
Sabemos disso ou apenas cremos nisso?
Um ser humano tem asas longas e totalmente invisíveis, tão naturais lhes são.
O ser humano, que eu saiba, não sabe disso, mas eu sou humano e sei.
Posso demonstrar. Nasci no dia 08, sendo o zero o espírito do nada, o vazio, o incompreensível tentando-se descobrir. O que a tudo atrai, o buraco-negro em plena evolução. Esse é o espírito. O oito representa o equilíbrio e num grupo de 30 dias, meu mes é maio, outro espírito e agora 5, de fé e lutando contra a morte, o corte.
1954 foi um ano onde o uno, o corpo, a generosidade da entrega de duas células a um só ser, nasceu sábio, o nove é o completo, o pleno saber. Depois dele vem o zero, o espírito em um novo corpo, o 10. Meu ano tinha além do cinco, a fé de novo, e a morte, o quatro, que é o amor, e a vida, a certeza de sabê-la bem dividida.
Nossa data de nascimento nos diz quem somos.
Essa é uma certeza que tenho. O espírito que nos dá vida não pode se comunicar conosco por palavras. Elas saem de nossa boca.
Isso precisamos, convenhamos, compreender.
Para quem quiser se divertir, a receita:
0 - espírito
1 - corpo (e generoso)
2 - corpo (e vaidoso)
3 - corpo (e justo)
4 - corpo (e vivo)
5 - corpo (e frágil)
6 - corpo (e racional)
7 - corpo (e lutador)
8 - corpo (e equilibrado, pacífico)
9 - corpo (e sábio)
No Excel, a data de seu nascimento é relacionada como um número com referência a 1º de janeiro de 1900. Assim, no dia 8/5/1954, o meu número é o 19.852, o que quer dizer que eu sou um corpo sábio equilibrado na fé da vaidade. Podem me condenar, mas quem nasceu na fé da generosidade apenas teve mais sorte na vida do que eu.
(Suponho que o segundo do nosso nascimento contenha, cifrado, a data e o momento exato da nossa morte). Não sei o meu. Acredito que exato, exato mesmo, ninguém sabe.
Ou quase. Hoje em dia a Ciência sabe.

2 comentários:

  1. Obrigada pela visita lá no meu blog!
    Espero que nos encontremos mais vezes.
    I'll be back!

    Beijíssimo

    ResponderExcluir
  2. Oi Marcos,

    Obrigada pela visita.
    Aos poucos vou postando o que me encanta, é mais uma forma de eternizar escritores maravilhosos.
    Apareça, beijos :)

    ResponderExcluir

Sem moderação torno-me responsável pelo que você diz, por isso, caso comente, publicarei depois de lido. Obrigado por compreender.